Aumenta Inadimplência das prestações do Minha Casa Minha Vida


O calote no pagamento das prestações das casas própria do programa Minha Casa, Minha Vida só aumentam diante da queda na renda do trabalhador brasileiro e o aumento do desemprego. Segundo o Ministério das Cidades, há  atrasos acima de 90 dias, quando o cliente já é considerado inadimplente pelo sistema bancário. Em março, 21,8% dos financiamentos concedidos na faixa 1 do programa estavam inadimplentes. Em abril de 2014, eram 17,5%.

As prestações desse grupo ficam entre R$ 25 e R$ 80, por mês, por um período de dez anos, o que corresponde apenas a cerca de 5% do valor do imóvel que vão receber. Nesse caso, o valor não pago pelo mutuário é bancado pelo Tesouro Nacional. Nas faixas 2 e 3 do programa, que inclui famílias com renda de até R$ 5.000, a inadimplência também subiu, de 1,9% para 2,2% nesse intervalo. As perdas nessas faixas são assumidas pelo banco que concedeu o empréstimo ao mutuário, como em qualquer financiamento imobiliário.

Por conta dos atrasos, a Caixa Econômica resolveu suspender também, em fevereiro, o programa Minha Casa Melhor, linha de crédito para compra de móveis e eletrodomésticos com prestações de pouco mais de R$ 100.

Deixe uma resposta

.footer-main { background:none; }